Política

Pandemia: PT Solidário visa arrecadar e distribuir doação de alimentos à população atingida diretamente pela crise sanitária

Campanha de solidariedade mobiliza todo o país para arrecadar alimentos e amenizar a fome, que atinge mais de 19 milhões de brasileiros.

Com Assessoria de Comunicação

Política – A campanha PT Solidário lançou uma mobilização para arrecadar alimentos em todo os Estados do país. A ação é permanente e a primeira leva de doações acontecerá neste 17 de abril (sábado),  Dia Internacional da Luta Camponesa, dia de memória e resistência do Massacre de Eldorado dos Carajás.

Todos os militantes, dirigentes nacionais, estaduais e municipais do Partido dos Trabalhadores (PT) podem contribuir com a campanha. “É extremamente importante que a militância de todo o país se engaje nessa ação para arrecadar alimentos e abastecer os lares onde falta o básico da sobrevivência humana”, diz nota sobre a iniciativa da sigla que é a maior entre os partidos de esquerda do Brasil.

“A ação é uma demonstração do compromisso histórico do Partido dos Trabalhadores que, por meio de programas sociais durante os governos os presidentes Lula e Dilma, tirou o Brasil do Mapa da Fome. É uma campanha para movimentar a nossa militância”, disse a presidente do PT, deputada federal Gleisi Hoffmann em vídeo no lançamento da campanha dia 31 de março.

Confira outros trechos do documento de lançamento da campanha:

Pela primeira vez em 17 anos, mais da metade da população brasileira não tem certeza se haverá comida suficiente em casa no dia seguinte, precisou diminuir a qualidade e a quantidade do consumo de alimentos ou até passou fome.

De acordo com pesquisa divulgada pela Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional (Rede Penssan), 116,8 milhões de pessoas estão em situação de insegurança alimentar no país.

A fome havia sido superada em 2013 pelo Brasil, quando a Organização das Nações Unidas (ONU) retirou o país do Mapa da Fome, graças à política nacional de segurança alimentar implementada em 2003 pelo presidente Lula.

Após o golpe, que tirou a presidenta Dilma Rousseff da Presidência da República, a falta de alimentos voltou a assolar a população, situação que se agrava com o descaso do governo Bolsonaro no enfrentamento à pandemia, com políticas neoliberais e o fim do auxílio emergencial de R$ 600.

Diretórios estaduais

Os diretórios estaduais podem contribuir com a mobilização e organização nos municípios mapeando os pontos de coletas no estado e enviando a lista de endereços para o email ptsolidario@pt.org.br

É momento de potencializar também a campanha nas redes sociais, envolver vereadores(as), prefeitos(as), deputados(as) estaduais e governadores(as), além de organizar ações em todo o estado no dia 17 de abril com cobertura nas redes sociais.

Diretórios municipais

Nos municípios, os diretórios têm a função de organizar os locais de coleta de doação de alimentos, de contatar campanhas que já existem, organizadas por movimentos sociais, e de buscar, indicar e sugerir a coleta e compra de alimentos da Reforma Agrária.

Além disso, estão responsáveis pela organização de ações de doação para a população em vulnerabilidade. Sugerimos ocupações urbanas e rurais, mulheres em vulnerabilidade social, quilombolas, indígenas, população em situação de rua e LGBTQI+.

Divulgação

Vídeos e fotos das ações municipais, nos pontos de coleta podem ser enviados para o email ptsolidario@pt.org.br para divulgação. O objetivo é fazer uma ampla mobilização das redes petistas para a campanha #PTSolidario, com o envolvimento das redes estaduais e municipais, das lideranças e mandatos.

 

 

 

 

 

Portal Tribuna NE

 

Tags

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar